Qualidade

Dúvidas frequentes

O QUE É PLACA CERÂMICA?

É um Material Composto de Argila e outras matérias primas, secadas e queimadas, podendo ser esmaltadas ou não. As Placas cerâmicas são utilizadas para recobrimento de uma área (piso ou parede), fazendo parte do sistema de revestimento que é o conjunto formado pelas placas cerâmicas, argamassa de assentamento e rejunte.

O QUE É ABSORÇÃO DE ÁGUA ?

A absorção de água de uma peça está relacionada a resistência mecânica da mesma, pois quanto menor a absorção quer dizer que há menos espaço entre as partículas para que a água penetre na peça o que garante uma maior resistência mecânica. Os revestimentos cerâmicos estão classificados com relação ao grupo de absorção de acordo com a Norma ABNT NBR 13.817 - Placas Cerâmicas para revestimento Classificação.

Fonte: Norma ABNT NBR 13.817

 

Os produtos da Cerâmica Carmelo Fior são classificados pelo grupo BIIb, sendo uma absorção de água de 6 a 10%.

QUE É VARIAÇÃO DE TONALIDADE?

A variação de tonalidade é algo que acontece normalmente, pois faz parte do processo produtivo das peças cerâmicas uma vez que é quase impossível que 2 lotes possuam a mesma tonalidade por vários motivos, composição da massa, queima, composição da pigmentação entre outros.

PORQUE OS PRODUTOS SÃO CLASSIFICADOS POR CÓDIGOS DE TONALIDADE?

As cores das placas cerâmicas são classificadas em faixas de tonalidade próximas, identificadas com códigos numéricos nas embalagens. 
Exemplos: 01, 02, ..., 99 
Cada conjunto de caixa identificado com o mesmo número de tonalidade forma um lote de produção para um determinado produto.

O QUE É BITOLA/CALIBRE?

Entre as peças cerâmicas existem variações de tamanho que são inerentes ao processo produtivo, por isso a Norma permite uma variação de tamanho de até 0,6%. Estes limites de variações nos tamanhos das peças, que ocorrem por causa de pequenas diferenças de temperatura do forno e pequenas variações de granulometria do material. Estes limites são precisos entre um mínimo e um máximo, previstos na Norma ABNT NBR 13.818 - Placas cerâmicas para revestimento - Especificações e métodos de ensaios, baseado na ISO 13.006.

QUAL A IMPORTÂNCIA DE NÃO MISTURAR AS BITOLAS/CALIBRES?

Uniformidade das Juntas - Facilidade de Alinhamento - Não se pode assentar produtos de diferentes bitolas num mesmo local, pois as juntas não ficarão com um alinhamento adequado, e como consequência teremos um revestimento não uniforme e cheio de falhas.

DEVO MESMO FAZER A VERIFICAÇÃO AO RECEBER AS PLACAS CERÂMICAS?

Sim! Deve e pelos seguintes motivos:

  • Os produtos podem ser danificados no transporte. Nesse caso entre em contato imediatamente com a loja e comunique o ocorrido.
  • Você está recebendo o que comprou de fato? Você deve conferir se o produto pertence à classe adquirida, A, B ou C e se os dados de bitola e tonalidade são os mesmos em todo o lote. Caso haja mistura de classe, bitola ou tonalidade, não instale as placas cerâmicas, entre em contato com o seu fornecedor e exija a troca de todo o lote por um que seja homogêneo.

É IMPORTANTE UTILIZAR A JUNTAS DE ASSENTAMENTO ESPECÍFICADA NA EMBALAGEM?

É importante e imprescindível utilizar a junta de assentamento especificada na embalagem da placa cerâmica, pois a sua não utilização além de prejudicar a qualidade estética da obra, pode gerar danos irreversíveis a placa cerâmica, já que essa tolerância declarada tem a finalidade de oferecer relativo poder de acomodação às movimentações da base e das placas cerâmicas, de compensar a variação de bitola das placas cerâmicas, facilitando o assentamento e de facilitar a troca das placas cerâmicas. 
Qualquer junta de assentamento utilizada inferior a especificada caracteriza mau uso do produto, e segue por conta e risco do consumidor.

O QUE É PEI?

Porcelain Enamel Institute é a sigla que representa o nome do instituto que regulamentou as normas para a classificação da resistência à abrasão superficial. 
Abrasão superficial é o desgaste da superfície da placa cerâmica decorrente da utilização do mesmo. 
O desgaste por abrasão é causado pelo atrito das solas dos calçados (ou pneus) em contato com sujeiras abrasivas (como areia, areião, terra, etc.) sobre a superfície esmaltada da cerâmica A resistência à abrasão é muito importante para pisos onde existe a circulação de pessoas e veículos. 
Abaixo a classificação:

  • PEI 2 - Ambientes residenciais internos com baixa intensidade de tráfego.
  • PEI 3 - Ambientes residenciais internos com exceção de cozinha e entrada.
  • PEI 4 - Ambientes residenciais internos e externos, e ambientes comerciais de médio para alto tráfego.
  • PEI 5 - Ambientes residenciais internos e externos e ambientes comerciais de alto para altíssimo tráfego

O PEI GARANTE RESISTÊNCIA AO RISCADO?

Não! O PEI nos informa a resistência à abrasão, mas não garante que a placa cerâmica não riscará em contato com materiais de alta dureza MOHS. Tão importante quanto o PEI, é a dureza MOHS. Sua importância passa ao 1º lugar (mais importante que o PEI) nos seguintes locais: entradas, acessos, térreos dos prédios, halls de elevadores, corredores públicos, garagens em ruas não calçadas, áreas praianas sujeitas ao tráfego permanente com areia abrasiva. 
Para melhor entendimento, segue abaixo escala de Mohs:

A Escala de Mohs quantifica a dureza dos minerais, isto é, a resistência que um determinado mineral oferece ao risco, ou seja, a retirada de partículas da sua superfície. 
Os pisos já assentados não podem ser castigados pelo tráfego intenso de obra. A norma diz que devem ser protegidos com papelão e gesso contra o tráfego abrasivo de obra ("chiados de areia"). O pior inimigo do riscado é a própria obra.

PISOS BRILHANTES RISCAM MAIS?

Sim, os produtos de alto brilho ou de polimentos pleno estão mais propícios a riscar e por esse motivo é muito importante, o cuidado com esses produtos durante a obra sempre a mantendo limpa, removendo todo e qualquer material abrasivo trazida pela solas de sapatos e evitar ao máximo que se arraste qualquer tipo de material contra a cerâmica e fique atento para cada ambiente e tipo de exposição existe um produto mais adequado.

COMO SE APLICA A GARANTIA CONTRA OS DEFEITOS VISUAIS?

A Cerâmica Carmelo Fior garante os seus produtos Classe "A". Produtos com, no mínimo, 95% de peças isentas de defeitos visíveis, quando observadas na distancia padrão de 1,0 m (conforme ABNT NBR 13.818 - Placas cerâmicas para revestimento - Especificações e métodos de ensaios baseada na ISO 13006 e ISO 10545). Ou seja, 5 % das peças em uma embalagem classe A podem ser da classe C peças com algum tipo de defeito devem ser separadas para os recortes. 
Se o defeito só pode ser visto em condições especiais de iluminação ou aproximando dos olhos, ele não é considerado defeito. Para pisos, isto significa dizer que os defeitos devem ser visíveis a distância igual à altura de uma pessoa. Para revestimentos de parede, a uma distância de aproximadamente 1 metro.

O QUE SÃO PRODUTOS COM IMPRESSÃO HD?

A impressão digital nos produtos cerâmicos permitem que a aplicação dos esmaltes acompanhe toda a superfície da placa cerâmica, realçando baixos e altos relevos, mantendo assim a fidelização da imagem em Alta Definição (High Definition-HD), não permitindo bordas irregulares ou distorção no design dos produtos. 
Essa tecnologia digital destaca-se no mercado não somente pela perfeição de imagem, como também por reproduzir variações visuais ilimitadas, incluindo veios, texturas e variações de tonalidades, exatamente como encontramos na natureza, ex; madeiras, pedras, fibras naturais, etc.

O QUE É MANCHA D'ÁGUA?

Mancha d'água é a expressão usada para descrever o “escurecimento“ da superfície esmaltada dos revestimentos cerâmicos ocorrida quando os suportes porosos dos mesmos absorvem água. A água responsável pelo surgimento da mancha d'água pode ter várias procedências:

  • Da argamassa;
  • Do umedecimento das peças antes do assentamento;
  • Exposição dos revestimentos ao ambiente;
  • Água proveniente de fontes externas após o assentamento;

Como pode-se perceber o contato do revestimento com a água quer durante o assentamento quer durante o uso são praticamente impossíveis de serem evitados.

O QUE É COEFICIENTE DE ATRITO?

É a resistência que a superfície da placa cerâmica exerce em relação ao deslizamento/escorregamento de um transeunte que caminha sobre o piso cerâmico. Na prática a determinação do coeficiente de atrito da superfície das placas cerâmicas define a utilização destas, para pisos onde existe a exigência antiderrapante.

O QUE É CERÂMICA ANTIDERRAPANTE?

Trata-se de uma superfície resistente ao escorregamento. A classificação depende do uso. Produtos para áreas externas molhadas, por exemplo, precisam de produtos com maior resistência ao escorregamento para serem antiderrapantes que áreas internas.

COMO AUMENTAR A VIDA ÚTIL DO REVESTIMENTO CERÂMICO?

Dicas simples podem contribuir para termos um revestimento durável e belo como: 
O Produto Certo no Lugar Certo: Para cada tipo de uso e ambiente, existe um revestimento cerâmico mais indicado. Deve-se prever a que tipos de exigências o mesmo estará sujeito, e escolher o revestimento com as melhores características para suportá-las. Um produto mal especificado é a certeza de revestimentos danificados em pouco tempo. 

A Qualidade da Mão-de-Obra:
Para verificar se o assentador que foi contratado é um bom profissional, o ideal é conhecer algumas obras que ele tenha feito anteriormente. Na obra, você deve verificar se o assentador:

  • Utiliza juntas adequadas;
  • Assenta com um bom alinhamento e planaridade;
  • Dá bom acabamento em recortes;
  • Tem um bom serviço de rejuntamento; ou problemas aparentes de mancha de água;
  • Faz uma boa limpeza posterior, sem utilizar ácidos ou aparecimento de risco pós obra.

Mantenha a obra sempre limpa, livre de materiais abrasivos e proteja o revestimento para concluir as demais etapas da obra. 

Assentamento Correto:
Os produtos devem ser assentados corretamente. O assentamento mal feito é uma das grandes causas de aparecimento de defeitos com o tempo de uso. Consulte as normas ABNT NBR 13.753 ­ Revestimento de piso interno ou externo com placas cerâmicas e com utilização de argamassa colante; ABNT NBR 13.754 Revestimento de paredes interno com placas cerâmicas e com utilização de argamassa colante e ABNT NBR 13.755 - Revestimento de paredes externas e fachadas com placas cerâmicas e com a utilização de argamassa colante, todas podem ser encontradas no site www.abnt.org.br. 

Manutenção e Limpeza:
Os revestimentos cerâmicos se caracterizam por apresentarem as menores exigências em termos de manutenção e facilidade de limpeza. No entanto, deve-se tomar alguns cuidados como: Proteger os pés dos móveis que podem ser arrastados, com carpete ou feltro, para não riscarem os revestimentos; Utilizar grades e capachos nas portas de acesso para a rua para a limpeza nas solas dos calçados; Evitar a queda de objetos pesados ou pontiagudos, que podem quebrar o esmalte dos revestimentos; Para a limpeza diária, recomendamos água e detergente neutro. Uso de saponáceo para sujeiras de difícil remoção e deve-se sempre secar o revestimento após a limpeza; Limpar também as áreas externas, pavimentadas ou não, próximas aos locais onde os pisos estão assentados.

QUAIS AS RESPONSABILIDADES DO FABRICANTE?

Fabricar produtos que estejam dentro dos parâmetros normativos, seguindo as seguintes específicações:

  • Variações de tamanho dentro das especificações impressas nas embalagens;
  • Variações de esquadro dentro das especificações da Norma ABNT NBR 13.818 - Placas cerâmicas para revestimento - Especificações e métodos de ensaios;
  • Variações harmoniosas de tonalidade que comprometam o aspecto estético do ambiente;
  • Curvatura e empeno dentro das especificações da Norma ABNT NBR 13.818 - Placas cerâmicas para revestimento - Especificações e métodos de ensaios.

O QUE NÃO É RESPONSABILIDADE DO FABRICANTE?

  • Problemas originados antes e durante o assentamento e que sejam de fácil percepção;
  • Se forem ignoradas as informações das embalagens, folhetos e/ou catálogos;
  • Quando da ocorrência de eflorescência (Problemas com o contra-piso );
  • Destacamento das placas cerâmicas por falta de espaçamento e ou juntas de dilatação;
  • Desgaste das placas cerâmicas quando utilizadas fora das recomendações;
  • Quebra e bordas lascadas após o recebimento, ocasionada por manuseio e/ou transporte.

QUAIS AS RESPONSABILIDADES DA REVENDA?

  • Garantir a entrega do produto de tonalidade e tamanho da mesma referência;
  • Sem quebra originária de má disposição dos produtos em estoque.

QUAIS AS RESPONSABILIDADES DO ASSENTADOR?

  • Seguir as orientações dos fabricantes sobre o assentamento de placas cerâmicas;
  • Observar os espaçamentos entre as placas cerâmicas, conforme normas e recomendações impressas nas embalagens;
  • Não aplicar as placas com defeitos;
  • Ler sempre as informações das embalagens;
  • Efetuar a correta limpeza de placas quando terminar o serviço;
  • Utilizar rejunte lavável, impermeável e com proteção anti-mofo, afim de evitar o aparecimento de mancha de água e eflorescencia.

Receba informações